Menu fechado

 

 

 

PROGRAMA RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA

O programa Residência Pedagógica, que tem como premissas básicas o ideal de que a formação deprofessores  nos cursos de licenciatura deve garantir aos seus futuros professores, habilidades e
competências que lhes permitam realizar um ensino de qualidade nas escolas de Educação Básica. Ou  seja, o programa Residência Pedagógica busca uma formação mais aprofundada quanto à prática docente do licenciando, e ainda enriquece a formação dos professores receptores. Dessa forma, o programa temcomo objetivos específicos, de acordo com o Art. 5º da PORTARIA GAB Nº 259, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2019 - CAPES:
I - Incentivar a formação de docentes em nível superior para a educação básica, conduzindo o licenciando a exercitar de forma ativa a relação entre teoria e prática profissional docente;
II - Promover a adequação dos currículos e propostas pedagógicas dos cursos de licenciatura às orientações da Base Nacional Comum Curricular (BNCC);
III - Fortalecer e ampliar a relação entre as Instituições de Ensino Superior (IES) e as escolas públicas de educação básica para a formação inicial de professores da educação
básica; e
IV - Fortalecer o papel das redes de ensino na formação de futuros professores. A FASPREV – Faculdade São Paulo de Presidente Venceslau, pretende oportunizar aos Licenciandos do Curso de
Licenciatura em Pedagogia da IES a imersão, reflexão e ação sobre e no ambiente de aprendizagem, neste caso a escola pública, na sala de aula e nos espaços da escola na busca de competências profissionais, sem hierarquia, sobreposição ou divisão, para além de aprendizagens essenciais da educação básica, conforme a BNCC destaca: a educação integral, totalmente alinha às demandas da sociedade contemporânea. Tais competências são, Conhecimento Profissional, Prática Profissional e Engajamento Profissional. Os objetivos específicos são: • Formar profissionais com competências e habilidades necessárias ao exercício da ação docente, promovendo o domínio de conhecimentos voltados à alfabetização de crianças de 4 e 5 anos e alunos do 1º e 2º Anos Iniciais do Ensino Fundamental; • Formar professores para atuação no processo de alfabetização, considerando os seis componentes essenciais,
conforme disposto no Decreto nº 9.765, de 11 de abril de 2019 da Polícia Nacional de Alfabetização:
 1)consciência fonêmica;
 2) instrução fônica sistemática;
 3) fluência em leitura oral;
 4) desenvolvimento de vocabulário;
 5) compreensão de textos; e
 6) produção de escrita. • Formar um profissional capaz de assumir, a gestão dos processos educativos, a gestão da sala de aula e do processo de ensino/aprendizagem, promovendo a adequação das propostas pedagógicas das escolas públicas de educação básica às orientações da Base Nacional Comum Curricular (BNCC); • Colaborar no fortalecimento e ampliação da relação entre as Instituições de Ensino Superior (IES) e as escolas públicas de educação básica para a formação inicial de professores da educação básica, assim como enriquecer o papel das redes de ensino na formação de futuros professores, que serão seus docentes no futuro próximo. • Apoiar os estudantes, semanalmente na residência, a desenvolverem diversos tipos de raciocínios e percepções de mundo e, assim, começarem a criar seu próprio senso crítico. • A partir da BNCC, aprender a motivar o aprendizado de formas alternativas e mais condizentes com o momento atual. Saber usar as tecnologias a seu favor.
 
SUBPROJETO  (ALFABETIZANDO - O DESPERTAR PARA A LEITURA E ESCRITA)
Os objetivos específicos do subprojeto em Alfabetização da FASPREV, são:
• Contribuir no processo de alfabetização dos alunos de 4 e 5 anos e 1º e 2º Anos Iniciais do Ensino Fundamental;
• Formar professores para atuação no processo de alfabetização, considerando os seis componentes essenciais, conforme disposto no Decreto nº 9.765, de 11 de abril de 2019 da Polícia Nacional de Alfabetização: a) consciência fonêmica; b) instrução fônica sistemática; c) fluência em leitura oral; d) desenvolvimento de vocabulário; e) compreensão de textos; e f) produção de escrita.
• Garantir aos licenciandos a oportunidade de desenvolver competências e habilidades para a leitura e escrita;
• Compreender e intervir no processo de alfabetização e letramento;
• Entender o fazer pedagógico como exercício de pesquisa;
• Desenvolver a capacidade de observação;
• Observar e registrar a própria prática educativa;
• Desenvolver a capacidade para o trabalho interdisciplinar;
• Apropriar-se dos conceitos essenciais/conteúdos a serem trabalhados com educandos, em todas as áreas do conhecimento;
• Planejar, executar e avaliar suas ações pedagógicas cotidianamente; • Fazer intervenções pedagógicas que garantam o aprendizado dos educandos; • Construir e implementar o PP da instituição educacional como norteador do processo educativo;
• Realizar intervenções pedagógicas com educandos que possuem dificuldades de aprendizagem e/ou necessidades especiais;
• Realizar avaliação processual e diagnóstica.
 
Requisitos para participação como discente residente: 
I - estar regularmente matriculado em curso de licenciatura da IES na área do subprojeto;
II - ser aprovado em processo seletivo realizado pela IES;
III - ter cursado o mínimo de 50% do curso ou estar cursando a partir do 5º período;
IV - possuir bom desempenho acadêmico, evidenciado pelo histórico escolar, consoante as normas da IES;
V - dedicar-se as atividades do RP, conforme carga horária mensal estabelecida em edital;
VI - firmar termo de compromisso por meio de sistema eletrônico próprio da Capes.
O estudante de licenciatura que possuir vínculo empregatício ou estiver realizando estágio remunerado poderá ser bolsista dos programas de formação docente, desde que desenvolva as atividades do subprojeto em outra IES ou escola.
A IES não poderá impor restrições a estudantes que possuem vínculo empregatício, exceto no caso previsto no caput.
No caso de estudantes da Licenciatura em Educação do Campo e Licenciatura Intercultural Indígena, dadas as especificidades territoriais onde se localizam as escolas do campo, quilombolas e indígenas, admitir-se-á o vínculo empregatício ou estágio remunerado com a escola na qual serão desenvolvidas as atividades do subprojeto.

 

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA

A FACULDADE SÃO PAULO acredita no princípio democrático e, particularmente, no ensino superior como locus de realização da cidadania, e que o ensino não pode estar dissociado da responsabilidade social, do comprometimento, da pesquisa e da extensão. Consciente de que o conhecimento é o capital principal, recurso motor da economia, tem como certo, por fim, participar do processo civilizatório que transita pelo país, razão pela qual haverá de participar continuamente visando formar profissionais competentes que possam atuar como agentes de mudança, participando assim, do esforço para repensar o Brasil, enquanto nação, mercado e formação social. E para que seja possível que os licenciandos da FASPREV possam atuar como agentes transformadores, a prática profissional deve fazer parte da formação inicial. E estar participando de um programa em que o futuro docente possa estar semanalmente na escola, com a orientação de seu professor e ainda sob a responsabilidade de um professor experiente na escola fará a diferença na sua formação. O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID, inclui a supervisão do professor da IES formadora e o apoio do professor da escola onde realiza a iniciação à docência. Ambos os profissionais são responsáveis pelos licenciandos durante a realização do PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID.
Silvia Coello, alerta que: (...) por trás das ações, há um conjunto de ideias, de teorias que constroem suas concepções impregnadas de valores. São concepções que não só se fundamentam práticas mais ou menos ajustadas, mas também condicionam uma certa disponibilidade pessoal para a revisão de sua prática pedagógica. A atividade de formação realizada por um discente regularmente matriculado no Curso de Licenciatura em Pedagogia, no âmbito de uma escola-pública da Educação Básica denominada ‘escola-campo’ integrará um total mínimo de 30 horas mensais.
O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID busca uma formação mais aprofundada quanto à prática docente do licenciando, e ainda enriquece a formação dos professores receptores. Dessa forma, o programa tem como objetivos específicos, de acordo com o Art. 4º da PORTARIA GAB Nº 259, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2019 - CAPES:
I - incentivar a formação de docentes em nível superior para a educação básica;
II - contribuir para a valorização do magistério;
III - elevar a qualidade da formação inicial de professores nos cursos de licenciatura, promovendo a integração entre educação superior e educação básica;
IV - inserir os licenciandos no cotidiano de escolas da rede pública de educação, proporcionando-lhes oportunidades de criação e participação em experiências metodológicas, tecnológicas e práticas docentes de caráter inovador e interdisciplinar que busquem a superação de problemas identificados no processo de ensinoaprendizagem;
V - incentivar escolas públicas de educação básica, mobilizando seus professores como coformadores dos futuros docentes e tornando-as protagonistas nos processos de formação inicial para o magistério;
VI - contribuir para a articulação entre teoria e prática necessárias à formação dos docentes, elevando a qualidade das ações acadêmicas nos cursos de licenciatura.
A FASPREV – Faculdade São Paulo de Presidente Venceslau, pretende oportunizar aos Licenciandos do Curso de Licenciatura em Pedagogia da IES a imersão, reflexão e ação sobre e no ambiente de aprendizagem, neste caso a escola pública, na sala de aula e nos espaços da escola na busca de competências profissionais, sem hierarquia, sobreposição ou divisão, para além de aprendizagens essenciais da educação básica, conforme a BNCC destaca: a educação integral, totalmente alinha às demandas da sociedade contemporânea. Tais competências são, Conhecimento Profissional, Prática Profissional e Engajamento Profissional.
Os objetivos específicos são:
• Formar profissionais com competências e habilidades necessárias ao exercício da ação docente, promovendo o domínio de conhecimentos voltados à alfabetização de crianças de 4 e 5 anos e alunos do 1º e 2º Anos Iniciais do Ensino Fundamental;
• Formar professores para atuação no processo de alfabetização, considerando os seis componentes essenciais, conforme disposto no Decreto nº 9.765, de 11 de abril de 2019 da Polícia Nacional de Alfabetização: 1) consciência fonêmica; 2) instrução fônica sistemática; 3) fluência em leitura oral; 4) desenvolvimento de vocabulário; 5) compreensão de textos; e 6) produção de escrita.
• Formar um profissional capaz de assumir, a gestão dos processos educativos, a gestão da sala de aula e do processo de ensino/aprendizagem, promovendo a adequação das propostas pedagógicas das escolas públicas de educação básica às orientações da Base Nacional Comum Curricular (BNCC);
• Colaborar no fortalecimento e ampliação da relação entre as Instituições de Ensino Superior (IES) e as escolas públicas de educação básica para a formação inicial de professores da educação básica, assim como enriquecer o papel das redes de ensino na formação de futuros professores, que serão seus docentes no futuro próximo.
• Apoiar os estudantes, semanalmente na iniciação à docência, a desenvolverem diversos tipos de raciocínios e percepções de mundo e, assim, começarem a criar seu próprio senso crítico.
• A partir da BNCC, aprender a motivar o aprendizado de formas alternativas e mais condizentes com o momento atual. Saber usar as tecnologias a seu favor.
 
SUBPROJETO  (ALFABETIZANDO - O DESPERTAR PARA A LEITURA E ESCRITA)
Os objetivos específicos do subprojeto em Alfabetização da FASPREV, são:
• Contribuir no processo de alfabetização dos alunos de 4 e 5 anos e 1º e 2º Anos Iniciais do Ensino Fundamental;
• Formar professores para atuação no processo de alfabetização, considerando os seis componentes essenciais, conforme disposto no Decreto nº 9.765, de 11 de abril de 2019 da Polícia Nacional de Alfabetização: a) consciência fonêmica; b) instrução fônica sistemática; c) fluência em leitura oral; d) desenvolvimento de vocabulário; e) compreensão de textos; e f) produção de escrita.
• Garantir aos licenciandos a oportunidade de desenvolver competências e habilidades para a leitura e escrita;
• Compreender e intervir no processo de alfabetização e letramento;
• Entender o fazer pedagógico como exercício de pesquisa;
• Desenvolver a capacidade de observação;
• Observar e registrar a própria prática educativa;
• Desenvolver a capacidade para o trabalho interdisciplinar;
• Apropriar-se dos conceitos essenciais/conteúdos a serem trabalhados com educandos, em todas as áreas do conhecimento;
• Planejar, executar e avaliar suas ações pedagógicas cotidianamente; • Fazer intervenções pedagógicas que garantam o aprendizado dos educandos; • Construir e implementar o PP da instituição educacional como norteador do processo educativo;
• Realizar intervenções pedagógicas com educandos que possuem dificuldades de aprendizagem e/ou necessidades especiais;
• Realizar avaliação processual e diagnóstica.
 
Requisitos para participação como discente de iniciação à docência:
I - estar regularmente matriculado em curso de licenciatura da IES, na área do subprojeto;
II - ter concluído no máximo 60% da carga horária regimental do curso de licenciatura ao ingressar no programa;
III - ser aprovado em processo seletivo realizado pela IES;
IV - possuir bom desempenho acadêmico, evidenciado pelo histórico escolar, consoante as normas da IES;
V - dedicar-se as atividades do PIBID, observando a carga horária mínima de trinta horas mensais;
VI - firmar termo de compromisso por meio de sistema eletrônico próprio da Capes.